Untitled Document

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

TERÇA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

10 de AGOSTO de 2018

Justiça concede reintegração de posse de imóveis da Homex ocupados desde 2017

A empresa Homex e os donos dos imóveis no empreendimento conseguiram na Justiça a reintegração de posse do local, ocupado por cerca de mil famílias desde janeiro do ano passado. Na decisão, o magistrado pede com urgência que seja renovada a decisão de reintegração de posse, de março do ano passado. De acordo com o documento, o Comandante-Geral da Polícia Militar receberá um ofício para que o efetivo de 50 homens cumpra a medida, ainda sem data definida.

A reintegração de posse foi expedida por um juiz no dia 2 de agosto, mas os moradores receberam o documento nesta quinta-feira (9). Os moradores de terrenos da empresa Homex, localizada na região sul de Campo Grande, se reuniram em frente à Prefeitura nesta sexta-feira (10), à espera do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e com expectativa de que possam receber ajuda.

Segundo um dos líderes da comunidade, Silvio José Mezza Martins, de 42 anos, a esperança é de que o prefeito possa intervir. “Ele foi até a nossa comunidade há dois meses para entregar cobertores, conversou conosco e disse que iria ajudar, tentaria negociar a área para nós”, disse.

Em agenda pública na Câmara Municipal de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (10), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirmou que participou de uma audiência sobre a situação dos moradores e que cogitou comprar o terreno da Homex. Em nota oficial, a Emha (Agência Municipal de Habitação) esclarece que nunca houve promessa por parte da Agência de reassentamento imediato dessas famílias.

A Emha confirma que o prefeito compareceu à audiência solicitada pela empresa para buscar a desapropriação da área. “Na ocasião, a massa falida da empresa Homex pediu um valor de R$ 33 milhões para desapropriar o local, recurso esse que, se disponível, seria possível construir cerca de 900 moradias e beneficiaria quase 3 mil cidadãos. Houve uma contraproposta de R$ 7 milhões feita pela Prefeitura, que foi recusada pela empresa”, disse em nota.



Fonte: Midia Max



» VEJA TAMBÉM!
GERAL  14/08/2018
Fapems não se posiciona sobre problemas em concurso da PM
GERAL  14/08/2018
Servidor que facilitava esquema de sonegação ganhava o dobro do go  [...]
POLíCIA  14/08/2018
Polícia prende passageiro de ônibus e apreende drogas que seriam l  [...]
GERAL  14/08/2018
Rapaz foi morto com duas facadas no pescoço
GERAL  13/08/2018
Naviraí - Mundial Cursos abre inscrições para 09 cursos profissio  [...]

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Untitled Document
TáNaMídia Naviraí
Editor: Umberto Cardoso (Zum)
E-mail: zum@tanamidianavirai.com.br
Endereço: R. Jamil Salem, 27 CENTRO
Naviraí - MS - Brasil
+55 67 9956-1909