Untitled Document

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

TERÇA-FEIRA, 13 DE NOVEMBRO DE 2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

20 de AGOSTO de 2018

Segurança do narcotraficante Rafaat se entrega à polícia paraguaia

O paraguaio, Marcio Ariel Sánchez Gimenez, 29 anos, se entregou à polícia paraguaia, no Palácio da Justiça, na cidade de Capitán Bado. Conhecido como "Aguacate", o homem é considerado um dos chefes dos pistoleiros na fronteira com o Brasil e acusado de ser mandante em dois assassinatos: o vereador Cristóbal Machado Vera e o policial Wesley Dias Vasconcelos, em Ponta Porã, ambos em março deste ano. 

Conforme informações do site Capitan Bado, Gimenez estava foragido e é considerado um dos criminosos mais perigosos e procurados da fronteira. No histórico criminal tem duas acusações por homicídio doloso, tentativa de homicídio e roubo.

Gimenez foi segurança do narcotraficante brasileiro Jorge Rafaat Toumani, morto em junho de 2016 em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Paraguai. Ele era um dos guarda-costas que acompanhavam o ex-chefão da fronteira, mas o grupo armado não conseguiu impedir a morte de Rafaat, metralhado dentro de seu veículo blindado.

Aguacate passou um tempo preso, mas ganhou liberdade meses depois e passou a se dedicar a crimes de pistolagem quando chegou ao posto de "chefe dos sicários", como são chamados na fronteira os criminosos que são pagos para cometer assassinatos

Contratado por um traficante brasileiro por R$ 50 mil para matar o vereador, Gimenez repassou a empreitada para o paraguaio Carlos Armoa Escobar de 27 anos, e lhe pagou R$ 10 mil pelo serviço. Carlos matou o vereador a tiros e preso quatro dias depois.

Cristóbal, que além de político e comerciante era fornecedor de maconha, vendeu uma carga da droga para o brasileiro, recebeu adiantado e teria informado a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) sobre o carregamento. Quanto a morte do investigador a polícia paraguaia apontava ter relação às investigações de Wescley quanto ao tráfico de drogas na fronteira. 

Wescley foi seguido pelos pistoleiros em um Honda Civic e executado no meio de uma rua em Ponta Porã. O principal suspeito de ser o mandante da morte do policial é Sérgio Quintiliano Neto o "minotauro" também ligado a Aguacate. 



Fonte: Capitan Bado



» VEJA TAMBÉM!
GERAL  12/11/2018
Naviraí - 26º Exponavi agrada público e atinge objetivos
GERAL  12/11/2018
Integrando a equipe de Bolsonaro, Joaquim Levy deve assumir presidê  [...]
GERAL  12/11/2018
Sem CNH e alcoolizado, jovem é preso por empinar moto em ruas de ba  [...]
GERAL  12/11/2018
Mesmo com idade de corte para educação infantil e fundamental, cri  [...]
GERAL  12/11/2018
Expectativa de equilíbrio marca a 25ª edição da Superliga femini  [...]

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Untitled Document
TáNaMídia Naviraí
Editor: Umberto Cardoso (Zum)
E-mail: zum@tanamidianavirai.com.br
Endereço: R. Jamil Salem, 27 CENTRO
Naviraí - MS - Brasil
+55 67 9956-1909