Untitled Document

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

QUARTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

10 de OUTUBRO de 2018

Comissão exclui prova de digitação para contratar policiais com urgência

A Comissão Organizadora do Concurso Público da Polícia Civil publicou uma deliberação nesta quarta-feira (10) com a exclusão da fase de digitação. A decisão aconteceu um mês após uma candidata publicar a folha de texto da prova de digitação.

O concurso para os cargos de investigador e escrivão de polícia tem como o objetivo reduzir o déficit de recursos humanos na Polícia Civil, principalmente no interior do estado. No documento, a comissão justifica que a prova de digitação estava prevista para ser realizada ainda em maio, mas foi adiada devido a uma liminar proferida pelo TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e só foi realizada quatro meses depois.

Como o cronograma do concurso foi atrasado, a comissão justifica a eliminação da fase de digitação com a urgência de que os candidatos aprovados assumam os cargos e supram a necessidade de pessoal nas delegacias do interior, principalmente.

Além disso, os objetivos da fase de digitação podem ser alcançados durante o Curso de Formação Policial. “Eis que a atividade faz parte de disciplina específica constante na emenda do referido curso, igualmente de caráter eliminatório”, diz. Por fim, a comissão considera que não haverá prejuízo ao concurso com a supressão da fase de digitação.

Para mais detalhes, confira a deliberação publicada nesta quarta-feira (10).

Entenda o caso

A exclusão da fase de digitação do concurso acontece após uma candidata ter compartilhado um trecho do texto da folha da prova de digitação nas redes sociais. O MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) chegou a se pronunciar sobre o caso e até propôs uma ação civil pública.

A folha da prova de digitação do concurso foi divulgada nas redes sociais na manhã do dia 9 de setembro. Revoltados, os candidatos procuraram a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) Centro para registrar Boletim de Ocorrência, além de recorrer ao Ministério Público e ao Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Mato Grosso do Sul).

Segundo a comissão organizadora do concurso, a candidata é a responsável pela divulgação do trecho em um grupo de WhatsApp. Posteriormente, a candidata foi excluída do processo seletivo.



Fonte: Midia Max



» VEJA TAMBÉM!
GERAL  12/12/2018
Encontro discute combate à violência contra a mulher nos municípi  [...]
GERAL  12/12/2018
Contribuintes com débitos de ICMS já podem aderir ao Refis 2018  [...]
GERAL  12/12/2018
Ministério Público pede condenação de Lula na ação do sítio d  [...]
GERAL  12/12/2018
Governo infla secretaria e reduz número de cargos
GERAL  12/12/2018
Abate de suínos cresce 6,8% e bate recorde no terceiro trimestre  [...]

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Untitled Document
TáNaMídia Naviraí
Editor: Umberto Cardoso (Zum)
E-mail: zum@tanamidianavirai.com.br
Endereço: R. Jamil Salem, 27 CENTRO
Naviraí - MS - Brasil
+55 67 9956-1909