Untitled Document

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

TERÇA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

25 de NOVEMBRO de 2016

MS tem uma cidade em alerta e nove em risco de nova epidemia de dengue

Capital tem situação satisfatória no levantamento do Ministério da Saúde
foto: Divulgação

Uma cidade de Mato Grosso do Sul está em situação de alerta e outras nove em situação de risco de novos surtos ou epidemias de dengue, zika e chikungunya. Dados fazem parte do Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), divulgado hoje pelo Ministério da Saúde.

Levantamento foi feito entre outubro e novembro deste ano e aponta que o Estado registrou índice de 1.427,80 casos de dengue por 100 mil habitantes, sendo o quarto maior no país.​

Amambai é a única cidade do Estado em situação de risco para epidemia, com índice de infestação de 4,7%.

Estão em situação de risco os municípios de Paranhos, com índice de 3,4, Maracaju (3,2), Paranaíba (2,2), Bataguassu (2), Corumbá (1,9), Alcinópolis (1,5), Coxim (1,2), Bodoquena (1) e Nova Andradina (1).

Campo Grande e as demais cidades apresentaram resultado considerado satisfatório.

Conforme boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Mato Grosso do Sul teve 58.768 notificações e 19 mortes por dengue em 2016. Chikungunya teve 413 casos notificados, com 21 confirmados e nenhum óbito.

Segundo o Ministério da Saúde, maioria dos focos do mosquito Aedes aegypti foram encontrados depósitos de lixos e pneus. 

CAMPANHA

Para conscientizar a população para o combate ao mosquito, foi lançada hoje campanha com o alerta "Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar".

Campanha será veiculada de hoje até o dia 23 de dezembro. Com investimento de R$ 10 milhões, objetivo é sensibilizar as pessoas para que percebam que é melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências depois. 

"Vamos reforçar, ainda mais, a necessidade de eliminar os criadouros, convocando toda a sociedade para esse trabalho”, destacou o ministro da Saúde Ricardo Barros.



Fonte: Correio do Estado



» VEJA TAMBÉM!
GERAL  17/07/2018
Eles não querem de jeito nenhum que a Lava Jato acabe, diz Lula em  [...]
GERAL  17/07/2018
Ativistas que invadiram final da Copa são condenados a 15 dias de   [...]
GERAL  17/07/2018
Sorteio da mega-sena pode pagar R$ 56 milhões na quarta-feira
POLíCIA  17/07/2018
Ivinhema-Colisão entre caminhões deixa homem preso às ferragens p  [...]
POLíCIA  17/07/2018
Ladrão tenta atirar à queima roupa na cabeça de vítima, mas arma  [...]

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Untitled Document
TáNaMídia Naviraí
Editor: Umberto Cardoso (Zum)
E-mail: zum@tanamidianavirai.com.br
Endereço: R. Jamil Salem, 27 CENTRO
Naviraí - MS - Brasil
+55 67 9956-1909