Untitled Document
SEGUNDA FEIRA, 29 DE NOVEMBRO DE 2021
24 de NOVEMBRO de 2021

Incêndios florestais causam perdas de meio bilhão em MS, maior prejuízo do País

Incêndio florestal no Pantanal de Mato Grosso do Sul, no ano passado. (Foto: Corpo de Bombeiros Militar)

Para além da destruição ambiental, incêndios nos três biomas do Estado provocaram prejuízo de mais que meio bilhão de reais, entre 2016 e 2021. Neste período, o Mato Grosso do Sul é o estado brasileiro com maior dano econômico provocado por ocorrências florestais, segundo a CNM (Confederação Nacional de Municípios).

O estrago financeiro foi de aproximadamente R$ 533,1 milhões, equivalente a 46% do total em todo o Brasil, e ocorreram nos setores público e privado.

Em seguida, aparece o estado de Mato Grosso, com R$ 304,2 milhões, e Minas Gerais, com R$ 107,8 milhões. A quarta posição ficou com o estado de São Paulo, com R$ 82 milhões em prejuízos. Das 27 unidades federativas, oito não responderam os questionamentos da entidade - Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Paraná, Rondônia e Tocantins.Mapa indica valor do prejuízo financeiro por conta de incêndios florestais em cada estado do Brasil. (Arte: Henrique Lucas)

Mapa indica valor do prejuízo financeiro por conta de incêndios florestais em cada estado do Brasil. (Arte: Henrique Lucas)

Segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o País sofre com queimadas na maior parte do ano, mas em períodos mais secos, as ocorrências se intensificam - com o fim da estação chuvosa, entre julho e setembro, a umidade do ar reduz e os dias ficam mais quentes, facilitando a propagação de incêndios.

Vale dizer que as causas são diversas e envolvem fatores humanos e naturais. No entanto, o avanço do desmatamento e a ampliação de áreas pastorais e atividades agropecuárias favorecem tais acontecimentos. Segundo relatório do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), maior parte do fogo em 2020, ano recorde de destruição do Pantanal, foi provocada por ação humana.

Além desse bioma, o Cerrado - que preenche maior parte de Mato Grosso do Sul - requer cuidados na realização queimadas, especialmente fazendo rodízio programado para reduzir riscos de grandes incêndios de maior gravidade. "O manejo correto do fogo no Cerrado deve considerar o vento e as condições climáticas da região", diz o CNM.

Ainda que a região Norte tenha registrado maior número de incêndios florestais, o déficit é mais evidente no Centro-oeste - que acumula R$ 837,8 milhões em prejuízos, cerca de 75,4% do total de R$ 1,1 bilhão do País. O CNM ressalta que pode haver subnotificação em locais de difícil acesso e com menor infraestrutura.



Fonte: Campo Grande News



» VEJA TAMBÉM!
GERAL  29/11/2021
Polícia identifica homem que ficou gravemente ferido após bater em carreta
POLíCIA  29/11/2021
Douradense perde quase R$ 3 mil em golpe de falsa consultoria
GERAL  29/11/2021
Réus por incêndio na boate Kiss começam a ser julgados na quarta-feira
GERAL  29/11/2021
Governo autoriza compra de 2 helicópteros no valor de R$ 63 milhões
POLíCIA  29/11/2021
Conta de energia atrasada em MS pode ser paga com desconto de 40% e em até 24 vezes
Untitled Document
TáNaMídia Naviraí
Editor: Umberto Cardoso (Zum)
E-mail: zum@tanamidianavirai.com.br
Endereço: R. Jamil Salem, 27 CENTRO
Naviraí - MS - Brasil
+55 67 9956-1909